domingo, 28 de fevereiro de 2010

A Relação do Barítono com os Lieder

Lied (no plural lieder) é uma palavra da língua alemã, de gênero neutro, que significa “canção”. É um termo tipicamente usado para classificar arranjos musicais para piano e cantor solo, com letras geralmente em alemão. Na Alemanha, esta forma musical é chamada de Kunstlied.

Barítono: voz masculina que se encontra entre o baixo e o tenor.

Fonte: Wikipedia

Dietrich%20Fischer-Dieskau-4[1]

No panteão dos grandes intérpretes das canções alemãs – ou Lieder – o barítono alemão Dietrich Fischer-Dieskau (foto) se destaca. Suas gravações das canções completas para voz masculina de Schubert e da maioria das compostas por Brahms, Schumann, Mahler, Wolf, Liszt e Richard Strauss constituem um colossal empreendimento. Ele ofereceu ao lied uma voz única, uma inteligência consistente, um excelente domínio do rítmo e uma compreensão intuitiva da relação entre as palavras e a música. A ocasional ênfase em demasia das palavras ou das nuanças podem levar ao super-intelectualismo, a um tom prepotente e à falta de espontaneidade. Mas estes são pequenos deslizes em uma carreira que muito fez para estabelecer a canção alemã no repertório gravado e de concerto.

A extraordinária e bem-sucedida carreira em disco de Fischer-Diskeau quase eclipsou outros barítonos intérpretes de lieder menos prolíficos mas igualmente competentes de sua geração, principalmente Gérard Souzay (foto) souzay[1] e Herman Prey. Souzay é admirado por sua infalível beleza de timbre, pela interpretação inteligente e pela capacidade de ir ao âmago da canção sem lhe comprometer o sentido. Por vezes, ele enfatiza calmamente uma palavra de uma canção, e isto a tornava inteiramente nova. Menção especial também deve ser feita ao grande barítono holandês Robert Holl (foto)27627083[1] , que possui iguais qualidades. A opção por seu estilo purista ou pela abordagem intelectualizada de Fischer-Diskeau depende do gosto do ouvinte.

O que é um cantor de lieder?

O cantor ideal de lieder deve entender a diferença entre canção e ópera, reconhecendo que a intimidade, e não a opulência, é a chave do sucesso. A maioria das canções foram escritas para serem cantadas em salões ou pequenas salas de concerto, e é preciso que tanto o cantor quanto o pianista tenham isto em mente. Assim, não é imperativo possuir uma voz grande ou mesmo bonita para cantar bem os lieder (embora uma voz agradável sempre ajude). O mais importante é uma compreensão inata do texto e da música, uma capacidade de pintar as palavras com uma variedade de cores vocais e caracterizar a canção. A capacidade de se investigar em profundidade a alma do poeta em extremas condições de pobreza emocional ou física também é essencial para se estabelecer empatia com o Romantismo alemão (palavras como luta, pátria e espera). Um temperamento contemplativo aliado à sólida concentração é decisivo para o cantor de lieder. Um intelecto fino nunca toma um rumo equivocado. Viva a canção em vez de analisá-la. Nada deve ser inibido ou didático; e tudo deve ser espontâneo.

Grandes Barítonos Cantores de Lieder:

Olaf Bär: Alemão.Bar[1]

Possui um timbre de veludo e um bom gosto inato. Seus ciclos de Schubert podem não ser tão atraentes quanto outras versões, mas ele é sempre secundado com sua segurança e beleza por Geoffrey Parsons (seu pianista). Sua execução de “Im Freien” do Schwanengesang é forte candidato ao melhor disco de lieder graças ao grande senso de atmosfera e caráter, além dos andamentos enérgicos e sem sentimentalismo.

Disco recomendado: Canções de Brahms com Geoffrey Parsons (EMI)

Thomas Hampsom: Estadunidense.hampson[1]

Possui um timbre brilhante e dourado, aliado a um fraseado elegante, bem como sua grande inteligência e musicalidade. Este equilíbrio e nobreza são bem adequados às canções com letras sobre a mitologia grega de Schubert e Wolf, além de à alma frustrada do poeta nos ciclos de canções de Schumann. É surpreendente seu senso de tragédia e heroísmo decadente no “Winterreise” e em Mahler.

Disco recomendado: Canções de Schubert, Vol. 14 (Hyperium) – Escute uma faixa no player abaixo!

Matthias Görne: Alemão.Goerne%20Mathias[1]

Capaz de definir bem o caráter das canções, Görne empresta uma rusticidade à “Wordsworth” aos pescadores, ermitões, pastores e caçadores que frequentam as canções de Schubert e Wolf. É um cantor instintivo que usa seu timbre escuro e natural para estabelecer de maneira espontânea o caráter do lied. Está começando a colorir a voz e dar mais dignidade à sua presença de palco, o que lhe propicia maior nobreza.

Disco recomendado: Schubert/Goethe lieder, com Andreas Haefliger (Decca).

Simon Keenlyside: Inglês.keenlyside-1[1]

Em 1995, lançou um disco de canções de Schubert com o pianista Malcolm Martineau pela EMI Eminence. Um belo disco que foi eclipsado pelo lançamento simultâneo do recital de Schubert mais carismático (embora um pouco operístico) de Bryan Terfel pela DG. Mas depois de um segundo disco pelo mesmo selo, com canções de Schumann, sua reputação firmou-se. Sua voz quente é usada de maneira natural e com grande inteligência, bem como com a pintura vocal que distinguia Fischer-Dieskau em suas primeiras gravações.

Disco recomendado: Canções de Schumann, Volume 2 (Hyperion).

Wolfgang Holzmair: Austríaco.wigmore-holzmair[1]

Uma química notável desenvolveu-se entre Holzmar e Cooper (sua pianista), especialmente em Schubert. Cooper está preparada para atender às qualidades da escrita programática para piano, evocando com clareza todas as imagens e trabalhando diretamente a partir do texto, o que garante que cantor e pianista funcionem como um só. Holzmair é um barítono de voz leve, mas com uma reserva de forças que faz com que sua voz sempre soe bela. Seu trabalho com as palavras é sutil e eficiente, expressando bem o caráter da canção.

Disco recomendado: Schubert – Schwanengesang (Philips).

Thomas Quasthoff: Alemão.Quasthoff_Thomas_13[1]

Possui imponente presença no palco e uma voz enorme, capaz de uma extraordinária variação de cores. É impressionante a caracterização de canções de Schubert envolvendo o sobrenatural como “O Rei dos Elfos”, “O Anão”, “A Morte e a Donzela” e “A Dança dos Espíritos”. Ele canta com força e energia; nas canções mais tranquilas, possui o mesmo grande controle do “pianissimo” que conhecíamos no grande baixo Hans Holter.

Disco recomendado: Schubert – Lieder de Goethe, com Charles Spencer (RCA).

Fonte: Revista Classic CD, nº 19

AUDIÇÃO COMENTADA

Thomas Hampson interpreta, de Schubert – Der zürnenden Diana

Der nünenden Diana (Diana enfurecida), com letra de Johann Mayrhofer, mostra a deusa grega como força destrutiva. Acteão era filho de Aristeu, filho de Apolo. Era famoso como caçador e foi devorado por seus próprios cães no monte Citerão. Parece que o jovem caçador viu Diana nua quando a deusa se banhava em uma fonte. Ultrajada, ela incitou a matilha de 50 cães a despedaçar seu dono. Nesta descrição romantizada da horrível cena não encontramos nenhum cão, mas ouça como Hampson faz uso de um verdadeiro senso de patético e fraqueza ao cantar “matten Sinnen”, no penúltimo verso, para sugerir a perda dos sentidos e a morte. Temos aqui um senso de tragédia entre o clássico e o romântico, mas com sentimento genuíno.

00:15 – Sim, retesa teu arco para ferir-me, Divina Dama! Em tua cólera 00:30 és ainda mais encantadora. Nunca vou lamentar ter te visto às margens floridas da fonte, 01:08 suplantando a beleza das outras ninfas que nela se banhavam/ Espalhando raios de beleza pelo bosque. 02:15 Tua imagem vai-me alegrar mesmo na hora da morte. Quem contemplou tua nudez radiante 02:41 vai respirar com maior leveza. Tua flecha atinge o alvo, mas cálidas ondas 04:01 fluem gentilmente da ferida. 05:30 Meus sentidos cambaleantes tremem ao contemplar esta hora doce e derradeira.

té mais!

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante, todos que são publicados são respondidos, mas antes de escrever, leia as normas do blog:

Você pode: Opinar, elogiar, criticar, sugerir, debater e discordar.
Mas NÃO PODE ofender, insultar, difamar, divulgar spam, fazer racismo, ou qualquer tipo de conteúdo ilegal, além de usar palavras de baixo calão de maneira gratuita.

Obrigado por sua participação, fico na expectativa de seu retorno!

Conheça o Super Fusion Blog!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

"Sons, Filmes & Afins,

um refúgio para quem tem a mente aberta, mas opinião própria"

Marcadores

1975 (1) 1977 (1) 1979 (45) 2 Tone (1) 2001 (1) 50 Obras Revolucionárias (51) A Formação do Gosto Musical (8) A Pedidos (3) Abba (3) AC/DC (2) ação (14) Acervo Original (6) acid house (4) acid jazz (6) Acid Rock (1) acid techno (1) Aerosmith (2) afoxé (1) afrobeat (3) Allman Brothers Blues Band (1) Alternative Dance (1) Ambient (2) amizade (6) análise (1) animação (2) Aniversário (1) Arraste-me para o inferno (1) Art Blakey (1) art rock (5) aventura (4) axé (2) baião (1) baixo (6) baladas (3) balanço do ano (5) Barry White (1) bateria (2) be bop (8) Bebel Gilberto (1) Beethoven (6) Bela Fleck (1) Ben Affleck (1) Ben Kingsley (1) Berg (1) Berlioz (3) big band (2) Big Star (1) Bill Evans (1) Bill Wyman (1) Billie Holiday (1) Billy Bob Thornton (1) Billy Joel (1) biografia (3) black metal (2) Black Sabbath (1) Blackened Death Metal (1) Blind Faith (1) Blondie (1) Blue Cheer (1) bluegrass (1) blues (14) blues rock (1) Bob Dylan (1) Bob Marley (2) bolero (2) Bon Jovi (2) bossa nova (5) Boston (1) Boulez (1) Brahms (1) Brian Eno (6) Brittany Murphy (1) Brutal Death Metal (1) Buddy Guy (1) Burning Spear (1) Buzzcocks (2) Caetano Veloso (3) Cage (1) calipso (1) Camisa de Vênus (1) Cannonball Adderley (1) cantata (1) Carpenters (1) celta (2) Charles Mingus (1) Charlie Parker (2) Cheap Trick (1) Cher (1) Chet Baker (1) Chic (3) Chic Corea (4) chicago blues (2) Chico Buarque (2) Chopin (1) Choro (1) Christian McBride (1) Cícero (6) Clive Owen (1) comédia (16) Concerto (1) Cool Jazz (5) Count Basie (1) Counting Crows (1) country (7) country rock (3) Crumb (1) Curtis Mayfield (1) dance (3) David Bowie (6) Dead Kennedys (1) Death Doom Metal (1) death metal (6) debate (2) Debussy (2) Deep Purple (2) Def Leppard (1) Delaney Bonnie And Friends (1) delta blues (2) Dennis Hopper (1) Dennis Quaid (1) Dennis Wilson (1) Denzel Washington (1) Derek And The Dominos (1) Descartes (2) Destaques (1) Devo (2) Dianne Reeves (1) Dire Straits (1) disco (8) Divulgação (1) Dizzie Gilesppie (1) Django Reinhardt (1) Donizetti (1) Donna Summer (1) doo wop (3) Doom Metal (1) drama (27) Dream Theater (1) Drone Doom (1) Duke Ellington (4) Dulce Pontes (1) Dupré (1) Eagles (1) Earth Wind and Fire (3) easy listening (2) Electric Blues (1) electric-folk (1) Elis Regina (1) Ella Fitzgerald (1) ELO (1) Elton John (2) Elvis Costello (2) ensaio (25) Entrevista (1) época (2) Eric Clapton (3) Erroll Garner (1) Esta Música é Arte? (3) fado (2) Fairport Convention (1) Falecimentos (7) fantasia (4) Fela Kuti (1) Feldman (1) ficção científica (6) filme (69) Filosofia (3) flamenco (2) Fleetwood Mac (3) folk (9) Folk Metal (1) forró (1) Frank Sinatra (1) free jazz (4) frevo (1) Funeral Doom (1) funk (14) Funkadelic (1) fusion (10) Gal Costa (2) Gang of Four (1) Gary Numan (1) Genesis (2) Gershwin (1) Gesualdo (1) Gilberto Gil (2) glam rock (1) Glinka (2) Gluck (1) gospel (3) gótico (6) Grammy (2) Graziani (1) Gregory Isaacs (1) guerra (4) guitara (2) guitarra (5) gypsy jazz (1) Hank Jones (1) hard bop (4) hard rock (15) hardcore (2) Haydn (3) heavy metal (17) Herbie Hancock (2) hip-hop (5) Holger Czukay (1) Holst (1) homenagem (1) Horace Silver (1) Houghton (1) house (2) Ian Dury (1) Iggy Pop (2) indie rock (1) infantil (2) Iron Butterfly (1) Isaac (1) Isabelle Fuhrman (1) Ives (1) J.S. Bach (5) Jaco Pastorious (2) James Brown (2) Jamiroquai (1) Japan (1) jazz (44) Jazz Modal (1) Jean Michel Jarre (2) Jefferson Airplane (1) Jenifer Lopez (1) Jimi Hendrix (1) Jimmy Cliff (1) Jimmy Smith (1) Joan Armatrading (1) Joan Sutherland (1) João Gilberto (2) John Coltrane (1) John Mayall's Bluesbreakers (1) John Travolta (1) Johnny Alf (1) Joni Mitchell (3) Jorge Ben Jor (2) Joy Division (2) Judas Priest (1) Julia Roberts (1) Keith Jarrett (1) Kim Bassinger (1) Kiss (2) Kompha (1) Kraftwerk (2) krautrock (5) Led Zeppelin (2) Lee Jackson (1) Leibniz (1) Lenny White (1) Leonin (1) Listas (19) Liszt (2) Louis Armstrong (2) lundu (1) Machaut (1) madchester (2) Magazine (1) Mahler (2) Marcelo Nova (1) Maria Bethânia (1) Marianne Faithfull (1) Marvin Gaye (3) MDM (1) Meat Loaf (1) Medieval Metal (1) Melodic Death Metal (1) Memphis (1) Meryl Streep (1) Messiaen (1) Metal Progressivo (2) Michael Jackson (3) Mickey Rourke (1) Miles Davis (4) Miúcha (1) modal (2) modinha (1) Monteverdi (2) Motörhead (1) Mozart (6) MPB (10) músic eletrônica (3) música ambiente (4) música clásica (1) música clássica (4) Música do outro mundo (11) música eletrônica (4) música experimental (3) música industrial (2) Música na Cabeça (7) musical (1) Musicoterapia (1) Ná Ozzetti (1) Nat King Cole (1) Neil Young (1) new age (1) new wave (15) Ney Matogrosso (1) Nina Simone (1) Nirvana (1) O que é? (6) ópera rock (2) opinião (23) Oscar (1) Paco de Lucía (1) Parliament (2) Pat Metheny (1) Paul Giamatti (1) Paul McCartney (1) Paul Weller (1) Paulinho Nogueira (1) Paulo Moura (1) Penelope Cruz (1) Pere Ubu (2) Peri (1) Perotin (1) Perusio (1) Peter Frampton (1) Peter Gabriel (1) Peter Sarsgaard (1) Peter Tosh (1) piano (2) Pink Floyd (6) polca (1) Police (1) policial (5) pop (23) pop rock (4) pós-punk (6) Post-Punk (2) Poulenc (1) Power Metal (1) Presente (2) Primus (1) Prince (1) Progressive Death Metal (1) promocional (6) Public Image Ltd. (2) Puccini (1) punk rock (31) Quadrinho (1) Queen (1) Racionais MCs (1) Ramones (3) rap (2) Red Hot Chili Peppers (2) reggae (6) Reich (1) Return To Forever (1) Richard Wagner (2) Rick Wakeman (1) rock (70) rock de vanguarda (4) rock progressivo (9) rock psicodélico (3) rockabilly (2) Rolling Stones (2) romance (9) Ronnie James Dio (1) Rush (1) Russell Crowe (1) Rythm and Blues (5) Saint-Saens (1) Sam Raimi (1) samba (5) Sarah Vaughan (1) Satie (1) sax (1) Schoenberg (4) Schubert (3) Schumann (2) Scorpions (1) Scriabin (1) sebo (1) Série Especial de Domingo (80) Sex Pistols (6) Shirley Verrett (1) Show (1) Simone (1) Siouxsie and The Banshees (1) Sister Sledge (1) ska (1) smooth jazz (3) soul (9) soul jazz (4) speed metal (2) Spyro Gyra (1) Stan Getz (1) Stanlay Clarke (1) Star Trek (1) Steely Dan (1) Stéphane Grappelli (1) Steve Vai (1) Steve Winwood (1) Stevie Wonder (2) Stockhausen (1) Stravinsky (1) Sunday (1) Supertramp (1) surf music (1) suspense (14) swing (5) Symphonic Prog (1) synthpop (3) Talking Heads (2) tango (2) Tchaikovski (2) Technical Death Metal (1) techno (5) Television (1) Terri Lyne Carrington (1) terror (7) Tex (1) The Adverts (1) The B-52's (1) The Beach Boys (1) The Beatles (3) The Cars (1) The Clash (3) The Cramps (2) The Cream (3) The Crusaders (1) The Damned (1) The Doors (1) The Fall (1) The Germs (1) The Gun Club (1) The Hollies (1) The Jam (1) The Jazz Crusaders (1) The Modern Lovers (2) The Only Ones (1) The Penguin Cafe Orchestra (1) The Residents (1) The Saints (1) The Slits (2) The Specials (1) The Stooges (2) The Stranglers (2) The Trio (1) The Undertones (1) The Who (1) Thelonious Monk (2) Thin Lizzy (1) thrash metal (2) Throbbing Gristle (1) Titãs (1) Tom Jobim (2) Tom Petty (1) Tom Wilkinson (1) Top Blog (1) TOPS (1) Toquinho (1) Tracy Chapman (1) Traffic (1) trance (2) tropicália (3) Tudo isso é rock (1) valsa (1) Van Halen (2) Van Morrisson (1) Varèse (1) Vaughan Williams (1) Velvet Underground (1) Vera Farmiga (1) Vídeo (1) Viking Metal (1) Villa-Lobos (1) Vinícius de Moraes (1) Vinil (1) violão (1) Vivaldi (2) Watt 69 (1) Weber (1) Webern (1) Wes Montgomery (1) west coast jazz (1) Wheater Report (1) Willie Nelson (2) Winger (1) Winona Ryder (1) Wire (2) X-Ray Spex (1) Yardbirds (1) Yes (1)