quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Pausa!!







'té mais!

Enciclopédia Básica de Estilos Musicais
Batucada - Ritmo oriundo dos escravos africanos no Brasil, subgênero do samba.
Batuque - Ritmo executado, em princípio, apenas por mulheres, acompanhado por canto, palmas e percussão.
Bayin - Estilo musical instrumental executado em casamentos, funerais e outros rituais dos habitantes das Ilhas Pescadores em Taiwan.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Jorge Ben (Jor) - Africa/Brasil (1976)

Você conhece o senhor Jorge Duílio Lima Meneses? E o Babulina? E o Jorge Ben? Jorge Ben Jor?
Cidadão brasileiro, nascido no Rio e filho de mãe etíope; Jorge é conhecido no mundo inteiro como o compositor de "Mas que Nada" e admirado por músicos em geral por ser um artista original.
Começou, como quase todos os músicos brasileiros da época, influenciado por João Gilberto e sua bossa-nova, mas como não sabia muito bem fazer aquela "batida nova" no violão (e quase mais nada no instrumento), inventou um jeito novo de tocar e deu vazão a toda a sua musicalidade inata.
Esse disco apresenta um artista já consagrado (com mais de 10 anos de carreira), que praticamente põe um ponto final numa discussão muito inflamada que ocorria na época entre as principais correntes musicais do Brasil: samba e tropicália.
O problema é que os adeptos do samba proclamavam-se detentores da música nacional e julgavam os tropicalistas "colonizados" da música americana com suas guitarras estridentes em lugar do pandeiro e zabumba.
Por outro lado, os tropicalistas achavam que a música tem um caráter universal e evolutivo, que novos instrumentos e ritmos podem muito bem temperar o som típico brasileiro.
Pôs um ponto final pois Jorge trocou seu inseparável violão por uma guitarra e mostrou que sai sim música brasileira desse instrumento. Também porque seu som nesse disco é claramente música brasileira, seja por suas letras (futebol, praia, tradições), seja por seu som (samba, balanço, sambalanço). E surpreendentemente para alguns, essa "brasilidade" aparece justamente com as evidentes presenças de funk e rock.
Talvez você pergunte: Esse disco é de que? Samba, funk, rock...? Jorge responde: é de música brasileira, e da boa!
Escute o clássico Umbabarauma (homem-gol) - http://www.youtube.com/watch?v=fKV9k2ZpEc8

'té mais!

Enciclopédia Básica de Estilos Musicais
Balada - Termo genérico para designar o estilo em andamento lento surgido na Idade Média, com letras compostas por poemas.
Ballata - Genero musical com letras poéticas, surgido na Itália no final do Século XIII.
Bambuco - Estilo musical da região andina colombiana, acompanhado por um violão.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Rush - 2112 (1976)

Junte Alex Liefeson (ótimo guitarrista), com Geddy Lee (vocalista, tecladista e um dos maiores baixistas do rock) e Neil Peart (o melhor baterista de rock de todos os tempos) e você terá a banda que elevou, em termos técnicos, o rock progressivo ao seu auge: RUSH.
Outras bandas, depois tentaram superá-los, como o Dream Theater nos anos 90, mas produziram apenas monstros eruditos e sem alma. Pois é, o ápice já foi alcançado, resta-nos apenas igualá-lo (com muito esforço!), ou inventar coisa nova.
Se você é estudante de música, na guitarra, passará por eles no nível intermediário. No baixo - o avançado; na bateira, só no mestrado e o vocal, nem tente pois é inimitável.
Apesar disso, poucos entenderam a proposta da banda nos anos setenta e se não fosse esse disco, talvez tivessem ficado pelo caminho.
A faixa 2112 é megalomaníaca - mais de 20 minutos de histórias meio malucas sobre realidades alternativas, religiões fictícias e ideias metafísicas. Tudo isso em cima de um instrumental primoroso.
Em geral, as letras do Rush são difíceis de captar as mensagens, mas são bem criativas, típicas de nerds (como eu) que adoram ficção científica.
Outros destaques são os hits "A Passage To Bangkok" e "Something For Nothing", além da tentativa de ser comercial (estavam com a corda no pescoço!), "Tears".
Como Alex Lifeson além da guitarra tocava violão de seis e de doze cordas e Geddy Lee tocava baixo, teclado, violão de nylon e cantava, além de Peart na bateria e percussão; ouvindo o disco dá impressão que tem uma multidão tocando e não apenas três caras.
2112 - Um dos melhores discos de rock progressivo de uma das bandas de rock que mais gosto.
Sem dúvida recomendo!
Para ouvir o petardo Something For Nothing clique aqui - http://www.youtube.com/watch?v=096LhjGNNCk&feature=related

'té mais!

Enciclopédia Básica de Estilos Musicais
Bakersfield Sound - Subgênero da música country surgido na década de 1950, nos arredores de Bakersfield (Califórnia).
Bal-Musette - Estilo musical popular em Paris na década de 1880, oriundo da mistura de ritmos como tango, polca, pasodoble e valsa, à tradicional música francesa.
Balkan Brass - Estilo musical popular nos Balcãs, especialmente na Sérvia, Macedônia e Bulgária, oriundo das bandas militares turcas.

domingo, 27 de setembro de 2009

Maratona 1976

Amigos, hoje me esbaldei ouvindo cinco discos, todos de 1976 (ano que nasci). Uns melhores que outros mas todos muito legais, abaixo, minhas observações:



Hejira - Joni Mitchell (1976)


Confesso que sou super fã da Joni Mitchell, acho ela demais.
Esse álbum, como os outros que ouvi dela, é sensacional!
Ela mistura folk, country-rock e jazz como ninguém, além de se preocupar com suas mensagens sendo sempre profunda. Poetiza!
O disco fala de "viagens" pessoais, fazendo uma analogia com a Hejira (viagem do profeta Maomé de Meca ao exílio em Medina).
Nas composições destacam-se os arranjos baseados quase totalmente nas cordas (baixo e guitarra), com a participação do monstro do baixo e namorado de Joni, Jaco Pastorius. O álbum é homogênio, as músicas mantem o mesmo "jeito" do começo ao fim.
É uma experiência enriquecedora! Confira a faixa título clicando no link - http://www.youtube.com/watch?v=sg7F2-rYXno



Boston - Boston (1976)




Sabe o hard rock melódico, tão comum nos anos 90?
Aqui temos o início de tudo!
Sucesso total até hoje, sendo um campeão de vendas no mundo todo, Boston é um disco bem bacana. A banda é super competente e técnica e faz um som pra frente.
Até o Nirvana rendeu uma homenagem à banda no "Acústico MTV" quando tocou a música Smells Like Teen Spirit incluindo uma do Boston no meio.
Pena que dez anos depois do lançamento de Boston, surgiu uma banda que desvirtuou a idéia deles e ridicularizou o gênero. Que banda famigerada foi essa? O Bon Jovi, qual mais?
Escute a ótima Peace Of Mind clicando no link, não esqueça de aumentar o volume! - http://www.youtube.com/watch?v=OaR2JeqxQDY



Hotel California - Eagles (1976)

Os Eagles em 1976, estavam totalmente contra a maré. Enquanto o que "mandava" na música mundial era o descerebrado disco music (nem tudo) ou o cru e expressivo punk, eles fecharam os ouvidos para o mundo exterior e continuaram na sua costa leste americana fazendo seus country-rocks com o mais absoluto esmero, produzindo este clássico do gênero capitaneado pela inesquecível faixa título.
Praticamente todas as gerações conhecem este hino, nas mais diferentes versões. Até nos malditos karaokês encontramos uma versão "midi" (cruz-credo) da música.
Mas o álbum não se resume nisso, todas as outras faixas são agradáveis e produzidas com muita qualidade. Um pouco melancólico é verdade.
Para ouvir a eterna Hotel California clique - http://www.youtube.com/watch?v=6zT3LzXzhJo




Arrival - ABBA (1976)


Como o próprio líder do grupo, Björn Uivaeus disse, "a música pop é uma coisa descartável", aqui temos um belo exemplar.
Brincadeira, não concordo com isso, embora todos os estilos e gêneros musicais tenham sua parte descartável e, provavelmente, no caso do pop, seja a maior parte; não incluiria ABBA, ou pelo menos nem tudo deles.
Pelo tipo de som que fazem, são alvos fáceis para a crítica mais rabugenta, mas observando com boa vontade, certamente encontraremos méritos no trabalho deles.
Por exemplo: apesar das letras simplórias, nem todas são alienadas como a maioria das letras do gênero vigente na época; As músicas são bem arranjadas e os vocais são arrumadinhos e principalmente, algumas músicas incluídas nesse álbum sobreviveram à prova do tempo, pois marcaram muitas pessoas e agradaram todas as gerações pelas quais passaram. Prova disso é o sucesso obtido com o musical "Mamma Mia", estrelado por Meryl Streep. Claro que hoje em dia quem gosta de ABBA são os saudosistas e as crianças. Ah, tá bom, eu sei que ninguém resiste em apontar o dedo pra pista quando as moças cantam: "See that girl, watch that scene, digging the Dancing Queen, nem que for pra tirar sarro.

Para ouvir o "hino gay" Dancing Queen, clique no link - http://www.youtube.com/watch?v=ctzIEjjOfd4



Destroyer - Kiss (1976)

Para muitos, o melhor disco do Kiss. Para muitos, isso não quer dizer grande coisa.
Eles foram acusados de tudo: aproveitadores, escrachados, banda-paródia, palhaços e até de satanistas (vejam vocês). Claro que tudo isso foi dito por quem não conhece nada do som da banda, pobres ignorantes.
Mas afinal, o som é bom?
Nesse álbum, na minha opinião é.
Rocks descomplicados e divertidos. A originalidade deles é copiar e juntar a originalidade de outros (até Beethoven!) e se divertir a valer. São Show-Men.
Contribuíram muito para a estigmatização, mas também para a cristalização do heavy metal (apesar de não serem bem desse gênero).
Curtam os sucessos desse disco como "Detroit Rock City", "God Of Thunder", a balada (?) "Beth" e a minha preferida, que está no link - "Shout It Out Loud" - http://www.youtube.com/watch?v=Xwp1DgcAxjk&feature=fvst

'té mais!

Enciclopédia Básica de Estilos Musicais
Baila - Estilo que mistura elementos da música portuguesa com os dos escravos africanos trazidos ao Sri Lanka.
Baisha Xiyue - Gênero musical orquestrado tradicional dos Naxis, grupo étnico oriundo da região noroeste da província de Yunnan (China).
Bajourou - Gênero musical executado em casamento e reuniões sociais em Mali, surgido na década de 1990, acompanhado por guitarra com afinação não convencional.

sábado, 26 de setembro de 2009

A Partida,Okuribito - 2008

Quando se fala em "filme estrangeiro" (não norte-americano), em geral, não agrada ao público, pois logo vem a ideia de filme lento, difícil ou sem ação. Em resumo, filme para críticos ou cinéfilos. Ainda mais se, como este, ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro (2009).
Não pense isso sobre A Partida, não tenha medo de alugar!
Aqui é contada a história de Daigo, um camarada que não anda com muita sorte na vida. É violoncelista numa orquestra que logo no início da narrativa é dissolvida, deixando o herói em maus lençóis.
Com o apoio de sua simpática esposa, decide recomeçar a vida do zero em sua cidade natal.
Na busca por emprego, responde a um anúncio que aparentemente refere-se a uma agência de viagens mas, que na verdade é numa empresa que prepara defuntos para sua "partida".
Ao descobrir, fica angustiado (o emprego é mal visto no Japão) e seduzido (o salário é excelente). Aceita o trabalho mas não conta a ninguém sobre sua nova ocupação.
Seu patrão é uma figura singular. Taciturno porem espirituoso, coloca seu novo aprendiz em situações hilárias, transformando um aparente drama numa verdadeira "dramédia".
Apenas quando as pessoas descobrem sobre seu novo ofício é que o filme passa a ter aspecto mais sério, deixando evidente preconceitos reais do Japão atual.
A trilha sonora é belíssima dando enfoque, obviamente, em músicas para violoncelo.
Contém cenas que algum espectador desavisado achará inúteis, como quando Daigo sai para os descampados para tocar seu instrumento. Claro que quem tem alma de artista não concordará com essa visão.
As atuações não são ruins mas lembram algumas vezes o seriado do Jaspion (lembra?)
A direção é super sensível, enquadrando os atores e cenários de forma muito delicada e o roteiro é simples, agradável e marcante.
Penso no roteiro como numa sinfonia: um primeiro movimento alegre, outro triste, o terceiro esperançoso e o quarto é a redenção.
Em "A Partida" temos o encontro de filme artístico com entretenimento.
Oscar merecidíssimo, assista sem medo.
Avaliação (0 a 10): 8
'té mais!

Enciclopédia Básica de Estilos Musicais
Bachata - Ritmo surgido nas favelas na década de 1960, fundindo o bolero com outros ritmos, como o cha-cha-chá e o tango.
Baggy - Estilo musical surgido no início da década de 1990, influenciado pela madchester, misturando o rock psicodélico, o baixo o funk/hip hop e a guitarra da acid house.
Baião - Ritmo originário do Nordeste brasileiro, surgido no Século XIX, acompanhado por triângulo, zabumba e acordeão.

Viagem No Tempo


Quem é Winger? Talvez os puristas dirão que trata-se de um clone do Def Lepard, outros dirão que foi uma banda insignificante que passou sem deixar marcas.

Mais importante que eu saber quem foram, foi o que deixaram para mim.
Quem pode culpar um rapaz de dezessete anos, cheio de expectativas e sem saber ao certo seu futuro, de gostar de tal banda?
Momento mágico da vida onde tudo é incerto e vivido conforme acontece (carpe diem).
Amores fugazes, conflitos de gerações, bandas de garagem e amigos sem fim. Experiências inesquecíveis (o mundo deveria parar nesse momento!), alegrias inesgotáveis e tristezas momentâneas.
Winger, para mim, é tudo isso. Espero não perder minha credibilidade, mas isso prova o poder que a música tem: marcar momentos, trazer alegrias de volta como o canto no chuveiro, a paquera da praia... O dia de amanhã que se dane!
Voltar no tempo? Inútil desejo.
Crie novos momentos! Não perca o adolescente ingênuo (nem tanto) em você!
Viva e deixe viver!
...Para mim Winger, e para você?
Escreva! Relembre! Basta colocar "o" CD, fechar bem os olhos e abrir bem os ouvidos.
Depois me conte, mande um comentário!

Ouça comigo: http://www.youtube.com/watch?v=JMKPQKU61QI&NR=1

'té mais!

Enciclopédia Básica de Estilos Musicais
Avant-Garde Jazz - Subgênero do jazz, surgido na década de 1950, caracterizado pela improvisação sem limites de escala.
Avant-Garde Metal - Subgênero do heavy metal, surgido na década de 1980, caracterizado pelo experimentalismo e pela forma não-estruturada de sons, instrumentos e letras.
Axé - Estilo musical originário da Bahia, surgido na década de 1980, que mistura frevo com outros ritmos, como forró, maracatu e reggae.

Gerações





-Você acredita em Deus?

-Acredito sim.

-E qual sua religião?

-Nenhuma.

- Ah, então você é ateu.

- Não, senhor, lhe disse a pouco que acredito em Deus.

-Então é acomodado.

- Não entendo. A religião lhe diz o que é certo e errado, o que fazer, como ser, o que dizer, por onde andar... Se o senhor tem religião, o senhor é acomodado!

- Você me ofendeu! Quem lhe deu o direito?

- O senhor mesmo, há poucos minutos me chamando de acomodado.

- Mas eu não disse isso.

- Disse sim, não se lembra?

- Mas eu sou mais velho!

-E o que isso tem a ver com idade?

- ...É, você sempre foi um problema, nunca foi como eu quis, nunca pensou como eu pensei, nunca agiu como eu agi, nunca entendeu como eu entendi, nunca gostou do que eu gostei.

- Sem dúvida! E isso não deveria ser um problema, mas se é, não é meu problema.

-Eu sei o que falo, sei que estou certo!

-O que lhe dá essa certeza?

- Eu ser assim e ver tudo para eu dar certo!


-Humm... O senhor é cego?



'té mais!

Enciclopédia Básica de Estilos Musicais
Ars Antiqua - Estilo musical medieval carcaterizado pela polifonia, presente na Europa por volta de 1160 até meados da década de 1320.
Ars Nova - Estilo musical medieval carcaterizado pela polifonia, presente na Europa por volta de 1310 até meados da década de 1375.
Art Rock - Subgênero do rock, surgido na década de 1960, caracterizado pelo experimentalismo e letras líricas, bem como a mistura com o jazz, música clássica e eletrônica.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Kiss, Chili Peppers e Genesis são indicados ao Hall da Fama




Olá amigos, li uma matéria e achei relevante compartilhar. Trata-se das indicações para o ano que vem do prestigiado Rock Hall da Fama.

A matéria é da jornalista da rádio Eldorado FM Carolina Cassola, segue abaixo a transcrição na íntegra:

"A edição de 2010 do Hall da Fama do Rock and Roll promete ser um tanto eclética e repleta de novidades. As bandas Kiss, Red Hot Chili Peppers, Genesis, The Hollies e o astro do reggae Jimmy Cliff foram indicados pela primeira vez.
Concorrendo desde 1999, o Kiss é a grande surpresa mesmo desta edição, já que o fato de ser indicada soa como uma superação. Isso porque a banda norte-americana teria sido esnobada durante uma década pelo comitê organizador.“Já indicaram bandas de disco, rap e música folclórica judaica para o Hall da Fama do Rock and Roll, mas nunca o Kiss”, desabafou o baixista Gene Simmons em entrevista ao site da revista “Rolling Stone”. E o músico ainda se orgulha: “Acho que temos mais discos de ouro nos EUA do que qualquer outro grupo, mas tudo bem”. O critério de seleção estipula que para ser elegível o artista precisa ter lançado seu primeiro álbum há pelo menos 25 anos. Abba, The Chantels, Darlene Love, Laura Nyro, The Stooges e Donna Summer marcarão presença novamente na cerimônia.
A lista final com os escolhidos desta 25ª edição -apenas cinco nomes- será divulgada no dia 15 de março de 2010, no hotel Waldorf Astoria, em Nova York."(fim do artigo)


Acho que esse título se descaracteriza contemplando artistas que não tem nada a ver com rock. Veja só a próxima edição poderá ter Donna Summer (disco) e Jimmy Cliff (reggae)!

O que você acha? É válido? E as indicações desse ano, você achou justas? E o que você acha do preconceito com a banda Kiss? Você acha que a quantidade de discos vendidos (como disse Gene Simmons) é critério para entrar no "panteão" do rock?

Deixe suas opiniões nos comentários!

'té mais!

Enciclopédia Básica de Estilos Musicais
Apala - Estilo musical dos iorubás nigerianos, criado na década de 1930 e utilizado para despertar adoradores durante o período do ramadan islâmico.
Arabesk - Gênero influenciado pela música pop árabe, surgido na década de 1930.
Arrocha - Estilo musical originário da Bahia, proveniente da seresta e influenciado pela música brega e romântica.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Station to Station - David Bowie (1976)

Para entender este disco, é preciso entender a quantas ia a vida de David Bowie na época.
Acabava de sair de uma bem sucedida turnê nos Estados Unidos após o lançamento de "Young Americans" (1975 - ver post do dia 19/09/2009), onde bebeu até cair a influência da música local.
"Fugiu" para Berlim na tentativa de escapar de seus problemas (drogas e o casamento acabado) e produziu lá uma trilogia que foi muito festejada pela crítica que incluía os álbuns Station To Station (1976), Low (1977) e "Heroes" (1977).
O Disco em questão contém nítidos resquícios do anterior, como a fantástica "Stay" e novidades, mas seguindo a velha fórmula - "entornar" a influência local - como a experimental "Station To Station", com forte influência do krautrock (rock feito na Alemanha que continha vários efeitos de sintetizadores e uma linguagem minimalista).
O álbum produziu apenas um hit: "Golden Years", que hoje tornou-se datado e momentos sensíveis como "Word On A Wing" e "Wild Is The Wind".
Ah, como de costume, Bowie incorpora um personagem nesse disco: o bem arrumado Thin White Duke, que adora falar de ovnis e ocultismo (?)
Esse é para os fãs.
Para ouvir "Stay" clique aqui - http://www.youtube.com/watch?v=MzI5N1ufID8

'té mais!

Enciclopédia Básica de Estilos Musicais
Anadolu Rock - Surgido no final da década de 1960, é uma fusão da música folclórica turca com o rock.
Anarcopunk - Subgênero do punk rock com letras anarquistas, surgido no final da década de 1970.
Anti-Folk - Subgênero experimental da música folclórica americana, surgido na década de 1980.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Duplicidade (Duplicity, 2009)

Casal de agentes governamentais, sem se conhecer, atuam em lados opostos numa missão na qual ela (Julia Roberts) se dá melhor que ele (Clive Owen). Por acaso (será?) se reencontram e se veem envolvidos em nova disputa mas não resistem aos encantos um do outro.
Decidem largar tudo e planejar um golpe em conjunto, aproveitando os conflitos pre-existentes entre duas mega-corporações concorrentes.
A premissa parece simples, mas o enredo é muito bem feito. Os personagens fazem jogos duplos e até triplos e as espionagens são muito bem boladas. Vamos descobrindo a trama através de flashbacks colocados nos momentos certos, despertando a curiosidade de quem assiste e o entendimento progressivo da história enquanto, ao mesmo tempo, os planos são colocados em prática.
O casal central é muito engraçado com suas paranóias sobre um estar enganando outro, pois seu meio de vida os deixaram muito desconfiados.
Um momento memorável é a discussão, mostrada no início do filme, que vai às vias de fato (em câmera lenta) entre os dois empresários concorrentes interpretados pelos competentíssimos atores Tom Wilkinson e Paul Giamatti.
O diretor e roteiristas Tony Gilroy, (que deve ser observado por esse notável trabalho , além do controverso "Conduta de Risco"), escolheu um elenco de apoio formivável que garante ótimas e divertidas atuções. Os protagonistas também não ficam atrás, apesar de Clive Owen repetir o papel de "conquistador carismático e confiante" de outros filmes.
Julia Roberts tem uma atuação convincente e deixa definitivamente para trás (ainda bem!), aqueles textos bobos das comédias românticas de outras épocas.
Claro que o roteiro não é um tratado de filosofia, mas é muito inteligente e proporciona bons momentos. Só o final é um pouco "picareta", mas trás boas surpresas.
Foi o melhor filme que vi nesse mês (por enquanto).
Avaliação (0 a 10): 7,5
'té mais!

Enciclopédia Básica de Estilos Musicais
Ambient House - Subgênero da house music, surgido no final da década de 1980, que combina elementos de acid house e música ambiente.
Ambient Techno - Variação da ambient house, surgida no início da década de 1990.
Ambient Trance - Estilo que combina elementos de trance e música ambiente, surgido na década de 1990.

domingo, 20 de setembro de 2009

Bem vindos a 1976! Primeiras audições

Tom Petty & The Heartbreakers - Debut (1976)



Ouvindo o álbum de estréia de Tom Petty, não consigo imaginar que relevância tem esse cidadão para a música mundial.


Todas as músicas são mal acabadas dando a impressão de que foram feitas às pressas, utilizando com frequência o efeito fade (aquele que vai diminuindo o volume da música pra ela acabar).


O artista, embora norte-americano, faz um rock ao estilo inglês - imagine a voz de Bob Dylan (credo) tentando cantar músicas a lá Rolling Stones, estranho né? Mas são os melhores momentos do álbum, como na faixa "Breakdown" e "Anything That's Rock'n'Roll". Outros momentos razoáveis são "American Girl", que encerra o disco e "Strangered In The Night" que lembra um pouco o AC/DC.


O resto é lixo puro: as faixas 1 ("Rockin' Around...") e 9 ("Luna") são descartáveis, a 4 ("The Wild One, Forever") é um prenúncio do que viria a ser o Bon Jovi (socorro!) e a 8 ("Mystery Man"), lembra um pouco o Van Morrison mas está mais para Counting Crows (sabe aquela banda horrorosa dos anos 90 que tinha aquele refrãozinho "chinelo" Sha-la-la-la-la-la hei, oh-oh da música "Mr. Jones"?). Ah, pulem a faixa 7 ("Fooled Again..."), tem um tecladinho que fica numa nota só quase a música toda, um som agudo e irritante que incomada bastante.


Descartável.


Se quiser conhecer, escute Breakdown - clique no link - http://www.youtube.com/watch?v=qNxfPAF1frM



The Modern Lovers - Debut (1976)


Bem vindos a era do Punk! Pra quem gosta do gênero (não é meu caso) aqui está um dos precurssores do movimento. Ainda não tem o peso de um Sex Pistols ou Dead Kennedys, mas vale por ser um documento histórico.
Claro que não dá para criticar um álbum de punk considerando a qualidade técnica, pois não tem praticamente nenhuma, apenas pelo movimento jovem subversivo contido, e aqui temos "a fina flor"! Palavrões à granel à parte, temos um disco leve (considerando que estamos falando de punk).
Para mim foi um sacrifício ouvi-lo todo, mas garanto que o fiz.
O maior sucesso da banda (gravado posteriormente pelos Sex Pistols) é "Roadrunner", um som típico de dois acordes mas com bastante energia.
Vale mencionar também a faixa 2 - Astral Plane - que tem um linha de baixo quase igual ao riff da música Black Knight do Deep Purple e a faixa 4 - Pablo Picasso - que "desce a lenha" com direito a vários palavrões.
O vocal é monocórdico (fica quase sempre numa nota só) e o instrumental é pobre, porém vigoroso.
Se você tem uma banda de garagem onde os integrantes mal sabem usar os instrumentos, aqui tem uma sugestão para o repertório.
Para conhecer "Roadrunner" clique no link - http://www.youtube.com/watch?v=TDJShMk-r88

'té mais!

Enciclopédia Básica de Estilos Musicais
Alpine New Wave - Gênero musical da região dos Alpes que funde o punk rock com a base de acordeão da música folclórica local.
Alternative Dance - Estilo que combina elementos do dance-pop com subgêneros do rock alternativo, tais como o indie rock.
Ambient Dub - Inspirado na série de albuns Ambient Dub, volumes 1 a 4, faz uso de efeitos eletrônicos psicodélicos, eco e reverberação de baixa frequência.

sábado, 19 de setembro de 2009

Alma Perdida (The Unborn, 2007)

Gosta de filmes de terror? Assisti hoje um dos últimos lançamentos do gênero: Alma Perdida de David Goyer (Blade Trinity). É mais um daqueles filmes que fala de possessões demoníacas e reencarnação.
Trata-se de uma moça (Odete Yustman) que passa a ter visões e sonhos com uma criança perversa e vários animais bizarros e distorcidos. O que era sonho passa a ser realidade conforme a entidade vai ficando mais forte. Atormentada, ela passa a investigar junto com uma amiga e seu namorado (aposto que você já viu isso antes) o por quê de tudo aquilo e descobre que o tormento está em sua família a várias gerações. Acuada, ela busca ajuda de um rabino (Gary Oldman: ótimo ator mas patético o papel dele nesse filme, devia estar desesperado por dinheiro), para exorcisar a "carniça".
Li muitas críticas por aí execrando o filme e pedindo a cabeça do diretor, mas acho que nem tudo é terra arrasada.
Vejamos:

  • a idéia é muito boa, tratar de folclore judeu, mostrando mitologias pouco conhecidas como o dybbuk, a kabbalah e o sephirot é, no mínimo interessante;


  • efeitos especiais de primeira linha, causando alguns sustos;


  • narrativa dinâmica: o capetinha aperece toda hora, sempre arranjando um jeito diferente pra infernizar a mocinha;


  • colagem de várias ideias que deram certo em muitos filmes do gênero;


  • a mocinha (e o mocinho também, fazer o quê) mostram bastante seus "corpitchos sarados" em cena (não torna o filme bom mas pelo menos agrada os olhos).
    Porém:
  • a temática interessante é desperdiçada com um péssimo e mal amarrado roteiro, o que me faz imaginar quão bom poderia ter sido em mãos mais competentes;
  • causa sustos, não pela surpresa, pois todos os momentos são óbvios demais, mas sim pela feiura dos monstros e pelos recursos de câmera;
  • peca pela falta de originalidade, você já viu praticamente todas as cenas em outros filmes de terror (bons e ruins);
  • atuações medíocres.

Concluindo, se você deseja ver um filme inteligente que mereça reflexão, passe longe deste. Agora, se o seu negócio é sentar na poltrona despretensiosamente e se divertir levando alguns sustos, sem pensar se a história faz sentido, taí uma boa pedida. Você que sabe!
Avaliação (0 a 10): 5
'té mais!

Enciclopédia Básica de Estilos Musicais
Aguinaldo - Ritmo foclórico natalino executado por um grupo de pessoas (parrandas), que vão cantando de casa em casa.
Ahouach - Estilo dançado coletivamente e executado por aldeões de tribos berberes do sul marroquino.
Air - Gênero musical surgido no final do Século XVI, na corte de Elizabeth I, com acompanhamento vocal por um alaúde.

Os melhores discos de 1975 que já ouvi

Physical Graffitti - Led Zeppelin

Sexto LP de uma das maiores bandas da história e o primeiro por sua própria gravadora (Swan Song), Physical Graffitti é uma ousadíssima miscelânea de sons que vão desde o Blues até músicas com influências orientais. As ideias eram tantas que foi necessário criar um álbum duplo. Criatividade e capacidade são lugares-comuns para o Led. É difícil citar apenas algumas faixas, disco obrigatório para todo o fã de Rock de qualidade.

Clássico dos clássicos.


Escute a monumental "Kashmir" - http://www.youtube.com/watch?v=PVD0QUcFLh4


The Köln Concert - Keith Jarrett

Em 24 de janeiro de 1975 alguns afortunados presentes no Köln Opera House tiveram a oportunidade de ver em ação um dos maiores instrumentistas de todos os tempos em ação no seu dia de máxima inspiração. Você não conhece Keith Jarrett? Não perca mais tempo! Comece por este disco e se emocione com o lirismo de seu piano, sua capacidade quase infinita de improviso, seu toque e sonoridade brilhantes. Acha que estou exagerando? Escute o disco e depois me mande um comentário.

Escute uma faixa, mas escute até o fim! http://www.youtube.com/watch?v=jzqMJWlKMsY



Young Americans - David Bowie



Esse cara sempre gostou de interpretar papéis em seus álbuns conceituais como "Ziggy Stardust" - um alienígena andrógino que canta suas impressões da Terra e ensina como as pessoas devem agir ou o maluco "Alladin Sane" (reparem o trocadilho) destilando a demência humana.
Isso não ocorre nesse disco. Aqui Bowie (um inglês) mostra todo o fascínio que tem pela música estadunidense e, claro, dá seu (ótimo) toque pessoal. Com participações notáveis como o cantor Luther Vandross e o saxofonista alto David Sanborn, esse sem dúvida, está entre as melhores gravações do ano. Escute a faixa-título: http://www.youtube.com/watch?v=QiaoRdOUPI8





The Hissing Of Summer Lawns - Joni Mitchell


Com letras contundentes e poéticas, Joni Mitchell é, para mim, a maior compositora de sua geração.


Esse disco apresenta melodias tocantes e sua voz de soprano delicada emocionam na maioria das faixas.
Nunca ouvi um disco ruim desta canadense e esse não é diferente, aliás, é fantástico. Ela não tem receios de expor sua vida e experiências de forma até "trovadoresca" em seus folks.
Wish You Were Here - Pink Floyd



Mais uma banda atemporal, que formidável experiência é ouvir a suite "Shine On You Crazy Diamonds", sem contar a conhecidíssima faixa-título.

É impressionate ouvir "Dark Side Of The Moon" e acreditar que a banda que o criou teria capacidade (coragem) de fazer mais algum álbum de qualidade similar. Mas eles conseguiram! Está aqui! Por isso é que eles são demais.

Sem mais palavras.


Ouça "Wish You Were Here" - http://www.youtube.com/watch?v=IXdNnw99-Ic



That's The Way Of The World - Earth, Wind & Fire

Veja post do dia 16/09/2009














MENÇÕES HONROSAS
Marcus Garvey - Burning Spear: Reggae da melhor qualidade;
Ogun Xangô - Gilberto Gil e Jorge Ben Jor: MPB como você nunca ouviu;
Red Headed Stranger - Willie Nelson: Cowntry surpreendentemente bom.
'té mais.

Enciclopédia Básica de Estilos Musicais
Afro-Cuban Jazz - Variante do latin jazz que combina elementos do jazz, salsa, merengue, entre outros. Criado na década de 1920.
Afro-Juju - Estilo que mistura juju e afrobeat, criado na década de 1920.
Aggrotech - Fusão do dark electro e electro-industrial, com forte influência do techno, letras e batida agressivas, surgido no início da década de 1990.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Budapeste



Filme baseado no livro homônimo de Chico Buarque com Leonardo Medeiros, Gabriella Hamori e Giovanna Antonelli. Dirigido por Walter Carvalho.

Confesso que é um desafio escrever sobre esse filme, ainda mais porque não li o livro, portanto não tenho como comparar.
Tem apenas um grande papel, que é interpretado por Leonardo Mededeiros de forma quase brilhante e dois secundários interpretados pelas atrizes Gabriella Hamori e Giovanna Antonelli.
A história é meio improvável (ou irônica) e tem como centro um ghost writer (Leonardo Medeiros) que sabe-se-lá-por quê, foi parar por "acidente" na capital da Hungria após retornar de um encontro de escritores anônimos na Turquia (?). Imediatamente encanta-se com a bela cidade e com a língua local (?). Ao retornar ao Brasil, fica deprimido ao reencontrar sua realidade.
Aparentemente bem sucedido e casado com Vanda (Giovanna Antonelli), fica com "cara de bunda" diariamente e trata com desprezo (pasmen!) sua esposinha, mesmo quando esta propõe uma noite agitada e quente na cama. Ele não nega, mas fica lá deitado, imóvel e ela parece que faz sexo com o travesseiro.
Com o desenrolar do enredo, percebemos que apesar de linda e famosa (é apresentadora de tele-jornal), sua mulher é fútil e idiota. Papel que Giovanna interpretou muito bem.
Há belos painéis como o rio Danúbio, Pubs, prédios históricos, etc. Além de frases que merecem reflexões escritas em lugares improváveis como no carrinho de madeira de um catador de latinhas.
Fique atento, pois há um jogo no espaço/tempo que se você não prestar atenção, não saberá se estamos no Rio, em Budapeste, nos sonhos ou nos livros do escritor.
Algumas cenas são insólitas (poéticas?), como a passagem da estátua de Lênin quebrada sobre o rio Danúbio, outra em que Medeiros desce uma escada sem motivo aparente e pára em lugar nenhum, a esbórnia num bar com direito a roleta russa, a discussão com um cidadão de Budapeste sobre a pronúncia correta de uma palavra, um poeta que aparece várias vezes e só sabe declamar três palavras e outras esquisitices.
Leonardo está muito convincente quando mostra insegurança ao aprender o húngaro e segurança quando começa a dominá-lo. Só acho forçado o escritor passar a escrever poesias no idioma estrangeiro (e com sucesso!) com tanta desenvoltura sendo que nem em português ele fazia e, convenhamos, fazer poesia no próprio idioma já é difícil e necessita de vasto conhecimento da língua, imagine na língua estrangeira que você mal aprendeu...
Esse filme é um dos indicados do Brasil a concorrer ao Oscar de melhor filme estrangeiro. Acho que não leva (não mesmo, o resultado saiu hoje 18/09, quem vai tentar concorrer é "Salve Geral", com Andreia Beltrão).
Momentos marcantes são proporcionados por pontas de Paola Oliveira (que aparece como veio ao mundo) e Paulo José (ótimo como sempre, mesmo doente).

Veja o trailler -
http://www.youtube.com/watch?v=95X-WKwCHws
Avaliação (0 a 10): 5,5
'té mais!


Enciclopédia Básica de Estilos Musicais
Adai-Adai - Estilo cantado e dançado por tribos de pescadores de Brunei.
Afoxé - Ritmo tradicional do Pernambuco, utilizado no candomblé.
Afrobeat - Estilo que combina elementos de vários outros gêneros musicais, como música yorubá, jazz, highlife, funk, entre outros. Criado na década de 1960.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Choradeira

Coincidentemente, o disco apreciado hoje, também é de soul. Menos funk e mais R&B e gospel que o Earth, Wind & Fire de ontem. Falarei de There's No Place Like America Today - Curtis Mayfield (1975).
Curtis Mayfield era considerado um inovador na música black e influenciou desde Prince a Racionais MC's. Multi-instrumentista, tocava guitarra, baixo, piano, sax e bateria; além de cantor e compositor. Era tido como um porta-voz da comunidade negra pobre norte-americana. Seu trabalho sempre foi muito engajado nas causas de "sua gente". Suas letras são utilizadas até hoje como base para alguns compositores de Rap e sua forma bem característica de cantar (um falsete suave) é muito copiada por cantores até dos dias de hoje.
Bem, falarei do disco: como não sou do tipo "politicamente correto", acho um porre essas letras tristonhas de "ai, como sou injustiçado e minha vida é dura" - pára de choramingar e vá a luta! Confira os temas desse disco:
Faixa 1 - Billy Jack - conta a história de um marginal negro assassinado que ninguém deu bola;
Faixa 2 - When Seasons Change - pobreza dos negros;
Faixa 4 - Jesus - nem preciso falar;
Faixa 5 - Blue Monday People - devemos nos preocupar mais com amor que com dinheiro;
Faixa 6 - Hard Times - tempos difíceis;
Faixa 7 - Love To The People - nós negros temos que nos amar.
Reparem que não incluí a faixa 3 - So In Love - essa não é engajada (talvez por isso seja a melhor do disco).
Além dos temas, as músicas são quase todas (excessões das faixas 6 e 7) tristonhas, arrastadas com o canto "choramingado" e instrumental mínimo. O cúmulo é a faixa "Jesus", um gospel bem comportado, chato e interminável (a música tem mais de 6 minutos).
O que salva o disco de ser uma total catástrofe (para mim) são as fankeadas (levemente, é verdade) 6 e 7, além da bela 3 - So In Love, elevando sua cotação para "album razoável".
Um fato curioso e triste aconteceu com o senhor Mayfield numa apresentação em 1990: um poste de luz caiu sobre ele e o deixou tetraplégico (pelo jeito nem Jesus gostou da música feita pra Ele); mas nem por isso parou de compor e gravar. Morreu em 1999 por problemas relacionados à diabetes.
Os fãs inveterados não fiquem bravos comigo critico apenas ESSE album, não o artista e, para os que ficaram curiosos, indico o disco "Superfly" (1972).
Há que ressaltar a bem sacada capa: uma fila de pessoas negras (provavelmente pra pegar o seguro-desemprego) e acima um outdoor com uma família branca feliz dirigindo um carro com a frase ambígua "There's No Place Like America Today (não há lugar como a América hoje).
Para ouvir So In Love, clique no link http://www.youtube.com/watch?v=SO1YaRpCVko
'té mais!

Enciclopédia Básica dos Estilos Musicais
Acid House - Subgênero da house music criado em Chicago na década de 1980, tendo, como símbolo, um smiley.
Acid Jazz - Estilo que combina elementos do jazz, soul, hip-hop e funk, criado ao final da década de 1980.
Acid Rock - Variação mais pesada do rock psicodélico, caracterizada por longos solos instrumentais e pouca letra, surgida no final da década de 1960.
Acid Techno -  Variação mais pesada do techno, que mistura o peso do techno com a progressão do trance, surgida no início da década de 1990.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

That's The Way Of The World


Sexto disco da mega-banda soul Earth, Wind & Fire: That's The Way Of The World (1975), disco este que finalmente os levou aos topos das paradas.
Antes dele, o grupo tentou a sorte fazendo trilhas sonoras de filmes B voltados principalmente para o público negro, inclusive até, atuando em alguns deles.
O álbum é fantástico. Não tem a maioria dos hits conhecidos, à exceção da faixa 2, a balada That's The Way Of The World, mas não o descarte por isso, ao contrário, preste atenção que verá verdadeiras pérolas.
Começamos com o funk "da pesada" Shining Star que já oferece um convite pra cair na dança. Se você quiser continuar no embalo, programe seu CD player pra tocar na sequência as faixas 5 (Yearnin' Learnin') e 7 (Africano). A faixa 7 é a única instrumental e mostra toda a categoria da considerada por muitos: melhor banda soul do mundo.
Se o seu negócio são mais as baladas, não se preocupe, escute além da faixa título as interessantes faixas 3 (Happy Feelin'), 4 (All About Love) e a incrível 6 (Reasons) executada toda num falsete primoroso pelo cantor, que com o passar dos anos, apurou tanto esta técnica que passou a atingir notas tão altas que fariam inveja a maioria das sopranos.
Mas não acabou! O melhor ficou para o final: a soul See The Light arrebenta! Não é nem tão agitada, nem tão lenta. No ponto! Arranjos vocais e instrumentais de bom gosto. As outras são pra dançar sozinho ou acompanhado, essa é pra curtir.
Clique no link para ouvir That's The Way Of The World Earth, Wind & Fire: http://www.youtube.com/watch?v=dhsx_vAdURM
'té mais!
Enciclopédia Básica de Estilos Musicais
Aak - Um dos três estilos musicais da corte coreana, trazido da China durante a dinastia Choson.
Arboriginal Rock - Estilo musical que mistura o rock com a instrumentação e canto dos aborígenes australianos, criado na década de 1970.
Abstract Hip-Hop - Estilo derivado do hip hop cujas letras abordam temas não relacionados à cultura hip hop, como isolamento, existencialismo e espiritualidade.

Os Melhores Discos que já Ouvi (Anos 50) Músicas da Época da Vovó

In The Wee Small Hours - Frank Sinatra (1955)


Para mim, Frank Sinatra tem a voz masculina mais bonita de todos os tempos.
Esse disco em especial, traz uma ótima coleção pra ouvir bem baixinho com a luz apagada e abraçadinho com seu amor.
Uma experiência muito agradável dormir ou acordar com esse album tocando.

Escute uma faixa! - http://www.youtube.com/watch?v=5ImGP33hcc4


The Wildest! - Louis Prima (1956)

Certamente (para mim) o disco mais divertido dos anos 50.
Louis Prima era bem maluco cantava e tocava trompete fazendo a maior festa! Fazia um "mix" de swing com o rock que estava surgindo e a banda "mandava brasa".
Músicas despretensiosas, feitas pra alegrar o ambiente.
Louis Prima era rei em sua época e, como diz o nome do LP ele era "O SELVAGEM!"

Para se divertir, clique - http://www.youtube.com/watch?v=8Ha1TP8lMv8

Ellington At Newport 1956 (1956)

O senhor Ellington é considerado por muitos o maior compositor da música norte-americana.
Ele era um ótimo pianista mas o seu instrumento mesmo era sua orquestra - excelente tecnicamente e nas interpretações.
Músicas fantásticas gravadas ao vivo com solos perfeitos.
Pra quem gosta de swing, este talvez seja o melhor disco do gênero. Disco para ouvir com atenção, aconselho apenas para os iniciados no gênero, os iniciantes devem deixá-lo pra depois.
http://www.youtube.com/watch?v=T5SsZ-TqFsA


Brilliant Corners - Thelonious Monk (1957)

Thelonious Monk era louco (sério! Até passou uma temporada no hospício!) e também genial.
Foi um dos inventores do Be Bop junto com Charlie Parker e Dizzie Gilesppie. Digamos que o Be Bop é o "Heavy Metal" do jazz.
O cara é um dos músicos/compositores mais originais que já ouvi e esse disco mostra bem isso. Esse é só pra amantes do gênero ou curiosos.
Conheça um trecho - http://www.youtube.com/watch?v=QB5VU2eKh2c


Birth Of The Cool - Miles Davis (1957)

Esse, sem dúvida, é um dos meus músicos favoritos: Miles Davis.
Esse disco é histórico! Miles é considerado o precursor de vários gêneros do jazz e esse album é citado como o marco inicial do Cool Jazz, variação que inclui música clássica em sua receita. Nada de virtuosismos exagerados, as notas são usadas na medida certa.
Reza a lenda que foi o Cool Jazz que influenciou o João Gilberto a bolar a nossa Bossa-nova. Imprescindível para todo o amante de música!


Lady In Satin - Billie Holiday (1958)


Confesso que não sou fã da Billie Holiday, mas esse disco... Como é belo e, principalmente sofrido...
Ela já não tinha uma voz lá essas coisas e, nessas gravações, menos ainda. Porém, que interpretação formidável! A orquestra e os arranjos do sr. Ray Ellis são soberbos.
Se você está com depressão, não ouça, é perigoso! Recomendo que você escute esse sozinho. Eu chorei.



Kind Of Blue - Miles Davis (1959)

Puxa, o que dizer deste aqui. Provavelmente é O MELHOR DISCO QUE JÁ OUVI DE TODOS OS TEMPOS!
Imagine juntar os melhores músicos (lendas!) de seus respectivos instrumentos, num estúdio sem ensaio nem nada e apresentar alguns temas e dizer: "vamos tocar". Aposto que você imaginou uma viagem doidona! E se eu acrescentar que a turma tinha que improvisar em cima de escalas modais? Piorou? Cacofonia e virtuosismo vazio? Meu, acredite se quiser, um álbum tranquilo, belo, sutil, preciso, original, GENIAL!! Escute esse disco e mude seus conceitos sobre música! http://www.youtube.com/watch?v=4sDeysxjvrQ

Time Out - The Dave Brubeck Quartet (1959)
Um dos discos mais populares (e vendidos!) do gênero de todos os tempos.
Esse é legal até pra iniciantes no jazz. Gostoso de ouvir, animado. Bela pedida!
Não sei se vovó ouvia esse mas, se não ouvia, perdeu. Quebre seus discos do Richard Clayderman e do Ray Conniff e coloque esse no lugar! - http://www.youtube.com/watch?v=JAydqZwnpBo


Enciclopédia Básica de Estilos Musicais
2-step - Surgiu em Londres, no final da década de 1990, derivada da dance music e considerada subgênero do UK garage.
2 tone - Surgiu no final da década de 1970, derivado do ska.
4-beat - Surgiu em 1993, derivada do breakbeat.

Conheça o Super Fusion Blog!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

"Sons, Filmes & Afins,

um refúgio para quem tem a mente aberta, mas opinião própria"

Marcadores

1975 (1) 1977 (1) 1979 (45) 2 Tone (1) 2001 (1) 50 Obras Revolucionárias (51) A Formação do Gosto Musical (8) A Pedidos (3) Abba (3) AC/DC (2) ação (14) Acervo Original (6) acid house (4) acid jazz (6) Acid Rock (1) acid techno (1) Aerosmith (2) afoxé (1) afrobeat (3) Allman Brothers Blues Band (1) Alternative Dance (1) Ambient (2) amizade (6) análise (1) animação (2) Aniversário (1) Arraste-me para o inferno (1) Art Blakey (1) art rock (5) aventura (4) axé (2) baião (1) baixo (6) baladas (3) balanço do ano (5) Barry White (1) bateria (2) be bop (8) Bebel Gilberto (1) Beethoven (6) Bela Fleck (1) Ben Affleck (1) Ben Kingsley (1) Berg (1) Berlioz (3) big band (2) Big Star (1) Bill Evans (1) Bill Wyman (1) Billie Holiday (1) Billy Bob Thornton (1) Billy Joel (1) biografia (3) black metal (2) Black Sabbath (1) Blackened Death Metal (1) Blind Faith (1) Blondie (1) Blue Cheer (1) bluegrass (1) blues (14) blues rock (1) Bob Dylan (1) Bob Marley (2) bolero (2) Bon Jovi (2) bossa nova (5) Boston (1) Boulez (1) Brahms (1) Brian Eno (6) Brittany Murphy (1) Brutal Death Metal (1) Buddy Guy (1) Burning Spear (1) Buzzcocks (2) Caetano Veloso (3) Cage (1) calipso (1) Camisa de Vênus (1) Cannonball Adderley (1) cantata (1) Carpenters (1) celta (2) Charles Mingus (1) Charlie Parker (2) Cheap Trick (1) Cher (1) Chet Baker (1) Chic (3) Chic Corea (4) chicago blues (2) Chico Buarque (2) Chopin (1) Choro (1) Christian McBride (1) Cícero (6) Clive Owen (1) comédia (16) Concerto (1) Cool Jazz (5) Count Basie (1) Counting Crows (1) country (7) country rock (3) Crumb (1) Curtis Mayfield (1) dance (3) David Bowie (6) Dead Kennedys (1) Death Doom Metal (1) death metal (6) debate (2) Debussy (2) Deep Purple (2) Def Leppard (1) Delaney Bonnie And Friends (1) delta blues (2) Dennis Hopper (1) Dennis Quaid (1) Dennis Wilson (1) Denzel Washington (1) Derek And The Dominos (1) Descartes (2) Destaques (1) Devo (2) Dianne Reeves (1) Dire Straits (1) disco (8) Divulgação (1) Dizzie Gilesppie (1) Django Reinhardt (1) Donizetti (1) Donna Summer (1) doo wop (3) Doom Metal (1) drama (27) Dream Theater (1) Drone Doom (1) Duke Ellington (4) Dulce Pontes (1) Dupré (1) Eagles (1) Earth Wind and Fire (3) easy listening (2) Electric Blues (1) electric-folk (1) Elis Regina (1) Ella Fitzgerald (1) ELO (1) Elton John (2) Elvis Costello (2) ensaio (25) Entrevista (1) época (2) Eric Clapton (3) Erroll Garner (1) Esta Música é Arte? (3) fado (2) Fairport Convention (1) Falecimentos (7) fantasia (4) Fela Kuti (1) Feldman (1) ficção científica (6) filme (69) Filosofia (3) flamenco (2) Fleetwood Mac (3) folk (9) Folk Metal (1) forró (1) Frank Sinatra (1) free jazz (4) frevo (1) Funeral Doom (1) funk (14) Funkadelic (1) fusion (10) Gal Costa (2) Gang of Four (1) Gary Numan (1) Genesis (2) Gershwin (1) Gesualdo (1) Gilberto Gil (2) glam rock (1) Glinka (2) Gluck (1) gospel (3) gótico (6) Grammy (2) Graziani (1) Gregory Isaacs (1) guerra (4) guitara (2) guitarra (5) gypsy jazz (1) Hank Jones (1) hard bop (4) hard rock (15) hardcore (2) Haydn (3) heavy metal (17) Herbie Hancock (2) hip-hop (5) Holger Czukay (1) Holst (1) homenagem (1) Horace Silver (1) Houghton (1) house (2) Ian Dury (1) Iggy Pop (2) indie rock (1) infantil (2) Iron Butterfly (1) Isaac (1) Isabelle Fuhrman (1) Ives (1) J.S. Bach (5) Jaco Pastorious (2) James Brown (2) Jamiroquai (1) Japan (1) jazz (44) Jazz Modal (1) Jean Michel Jarre (2) Jefferson Airplane (1) Jenifer Lopez (1) Jimi Hendrix (1) Jimmy Cliff (1) Jimmy Smith (1) Joan Armatrading (1) Joan Sutherland (1) João Gilberto (2) John Coltrane (1) John Mayall's Bluesbreakers (1) John Travolta (1) Johnny Alf (1) Joni Mitchell (3) Jorge Ben Jor (2) Joy Division (2) Judas Priest (1) Julia Roberts (1) Keith Jarrett (1) Kim Bassinger (1) Kiss (2) Kompha (1) Kraftwerk (2) krautrock (5) Led Zeppelin (2) Lee Jackson (1) Leibniz (1) Lenny White (1) Leonin (1) Listas (19) Liszt (2) Louis Armstrong (2) lundu (1) Machaut (1) madchester (2) Magazine (1) Mahler (2) Marcelo Nova (1) Maria Bethânia (1) Marianne Faithfull (1) Marvin Gaye (3) MDM (1) Meat Loaf (1) Medieval Metal (1) Melodic Death Metal (1) Memphis (1) Meryl Streep (1) Messiaen (1) Metal Progressivo (2) Michael Jackson (3) Mickey Rourke (1) Miles Davis (4) Miúcha (1) modal (2) modinha (1) Monteverdi (2) Motörhead (1) Mozart (6) MPB (10) músic eletrônica (3) música ambiente (4) música clásica (1) música clássica (4) Música do outro mundo (11) música eletrônica (4) música experimental (3) música industrial (2) Música na Cabeça (7) musical (1) Musicoterapia (1) Ná Ozzetti (1) Nat King Cole (1) Neil Young (1) new age (1) new wave (15) Ney Matogrosso (1) Nina Simone (1) Nirvana (1) O que é? (6) ópera rock (2) opinião (23) Oscar (1) Paco de Lucía (1) Parliament (2) Pat Metheny (1) Paul Giamatti (1) Paul McCartney (1) Paul Weller (1) Paulinho Nogueira (1) Paulo Moura (1) Penelope Cruz (1) Pere Ubu (2) Peri (1) Perotin (1) Perusio (1) Peter Frampton (1) Peter Gabriel (1) Peter Sarsgaard (1) Peter Tosh (1) piano (2) Pink Floyd (6) polca (1) Police (1) policial (5) pop (23) pop rock (4) pós-punk (6) Post-Punk (2) Poulenc (1) Power Metal (1) Presente (2) Primus (1) Prince (1) Progressive Death Metal (1) promocional (6) Public Image Ltd. (2) Puccini (1) punk rock (31) Quadrinho (1) Queen (1) Racionais MCs (1) Ramones (3) rap (2) Red Hot Chili Peppers (2) reggae (6) Reich (1) Return To Forever (1) Richard Wagner (2) Rick Wakeman (1) rock (70) rock de vanguarda (4) rock progressivo (9) rock psicodélico (3) rockabilly (2) Rolling Stones (2) romance (9) Ronnie James Dio (1) Rush (1) Russell Crowe (1) Rythm and Blues (5) Saint-Saens (1) Sam Raimi (1) samba (5) Sarah Vaughan (1) Satie (1) sax (1) Schoenberg (4) Schubert (3) Schumann (2) Scorpions (1) Scriabin (1) sebo (1) Série Especial de Domingo (80) Sex Pistols (6) Shirley Verrett (1) Show (1) Simone (1) Siouxsie and The Banshees (1) Sister Sledge (1) ska (1) smooth jazz (3) soul (9) soul jazz (4) speed metal (2) Spyro Gyra (1) Stan Getz (1) Stanlay Clarke (1) Star Trek (1) Steely Dan (1) Stéphane Grappelli (1) Steve Vai (1) Steve Winwood (1) Stevie Wonder (2) Stockhausen (1) Stravinsky (1) Sunday (1) Supertramp (1) surf music (1) suspense (14) swing (5) Symphonic Prog (1) synthpop (3) Talking Heads (2) tango (2) Tchaikovski (2) Technical Death Metal (1) techno (5) Television (1) Terri Lyne Carrington (1) terror (7) Tex (1) The Adverts (1) The B-52's (1) The Beach Boys (1) The Beatles (3) The Cars (1) The Clash (3) The Cramps (2) The Cream (3) The Crusaders (1) The Damned (1) The Doors (1) The Fall (1) The Germs (1) The Gun Club (1) The Hollies (1) The Jam (1) The Jazz Crusaders (1) The Modern Lovers (2) The Only Ones (1) The Penguin Cafe Orchestra (1) The Residents (1) The Saints (1) The Slits (2) The Specials (1) The Stooges (2) The Stranglers (2) The Trio (1) The Undertones (1) The Who (1) Thelonious Monk (2) Thin Lizzy (1) thrash metal (2) Throbbing Gristle (1) Titãs (1) Tom Jobim (2) Tom Petty (1) Tom Wilkinson (1) Top Blog (1) TOPS (1) Toquinho (1) Tracy Chapman (1) Traffic (1) trance (2) tropicália (3) Tudo isso é rock (1) valsa (1) Van Halen (2) Van Morrisson (1) Varèse (1) Vaughan Williams (1) Velvet Underground (1) Vera Farmiga (1) Vídeo (1) Viking Metal (1) Villa-Lobos (1) Vinícius de Moraes (1) Vinil (1) violão (1) Vivaldi (2) Watt 69 (1) Weber (1) Webern (1) Wes Montgomery (1) west coast jazz (1) Wheater Report (1) Willie Nelson (2) Winger (1) Winona Ryder (1) Wire (2) X-Ray Spex (1) Yardbirds (1) Yes (1)